Como a radiação luminosa interfere na arquitetura de plantas da soja?



Na última safra, o mapeamento AgroEvox observou que - em muitas lavouras de soja com elevado potencial produtivo, havia alta porcentagem de plantas com vagens improdutivas no terço inferior.


Este fenômeno está relacionado a diversos fatores, entre os quais podemos destacar: nutrição da lavoura, controle de doenças/pragas e baixa incidência de energia fotossinteticamente ativa - a luz solar, nas folhas especialmente da porção inferior da planta.


Nesta matéria abordaremos a questão da incidência de luz na parte inferior da planta, não que os demais fatores não sejam significativamente importantes, mas vamos focar neste recorte por hoje.


Na última safra tivemos um comportamento climático atípico em relação aos últimos 5 anos anteriores. Tal comportamento se deu durante os estágios de formação de vagens e enchimento de grão, como podemos observar no gráfico abaixo - feito com dados livres da estação meteorológica automática do INMET em Maringá.



Podemos verificar que a radiação solar incidente (linha amarela) na estação meteorológica ficou pela primeira vez desde 2016 abaixo de 600.000 KJ/m2 , o valor total no mês de janeiro de 2021 foi 27% inferior à média dos anos de 2016 a 2020.


Nota-se também que esta redução de radiação está relacionada ao aumento da precipitação total no mês representada no gráfico pelas barras azuis.


A luz solar é um importante fator de produção, pois, além de fornecer energia para o processo de fotossíntese, também é responsável por sinais que induzem a planta à alguns processos fisiológicos como determinar a altura de planta e indução ao florescimento.


Trabalhos técnicos relatam perdas de produtividade de 20 a 25% em plantas sombreadas em relação a plantas não sombreadas, esta variação de rendimento se dá em função da diminuição do número de vagens no terço inferior da planta, bem como na redução do tamanho e do peso da semente (grão).


A questão então é: como manejar a lavoura considerando que queremos minimizar os efeitos desta condição?


As principais práticas recomendadas são:


  • Plantio das variedades recomendadas para a região dentro da melhor data de plantio.

  • Ajuste de população de plantas de acordo com a fertilidade do solo e período de plantio.

  • Regulagem da plantadeira e velocidade compatíveis com boa qualidade de plantio.

  • Utilizar variedades de soja que possuem porte mais baixo, menor número de ramificações e menor índice de área foliar pois estas caraterísticas facilitam a absorção da energia fotossintética na parte inferior da planta.


Existe também a alternativa de utilização de redutores de crescimento, mas estes precisam de monitoramento técnico da lavoura para determinação da época de aplicação, bem como do produto correto e sua respectiva dosagem.


Na dúvida, sempre consulte um especialista. E caso queira prever situações assim e se antecipar, conte com o programa Agroevox: a informação como solução.


Bibliografia consultada:


INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA DO BRASIL – INMET. Dados estação meteorológica automática acessado em 31/05/2021 em < https://portal.inmet.gov.br/dadoshistoricos>.