Programa Agroevox usa monitoramento como aliado no manejo da cigarrinha do milho

Perda de produtividade e prejuízo. Palavras que nenhum produtor rural quer ouvir, correto? E se tem um inseto que pode levar a isso é a cigarrinha do milho (Dalbulus maidis), comum nas lavouras brasileiras.


Estamos em um período do ano no qual a cultura de milho vai ganhando espaço. É então que surge essa grande ameaça: as cigarrinhas do milho e suas doenças (enfezamentos).


A situação que vivemos nesta safra foi antecipada pelo programa AgroEvox (conheça mais sobre clicando aqui) na safra de verão, devido à alta presença de milho tiguera nas lavouras de soja, estas plantas de milho voluntárias estavam contaminadas com os enfezamentos e multiplicando as cigarrinhas que são os insetos vetores, como na figura abaixo.


A agricultura 4.0 pode ser uma grande aliada na antecipação da tomada de decisão e escolha de manejos mais adequados à cada realidade. No caso do monitoramento que realizamos através do programa Agroevox, este é feito em estágio inicial da cultura do milho em intervalos periódicos de 4 em 4 dias. Desta forma podemos auxiliar o produtor e seus consultores quanto ao melhor momento de aplicação de produtos nas suas lavouras.


Os Mapas de calor permitem identificar a intensidade de ataque bem como a localização predominante desta praga, conforme mostram as imagens abaixo antes e após a aplicação de produtos para o controle:


Nesta sequência de imagens, as áreas em vermelho e laranja mostram o local da lavoura com ataque mais intenso, áreas em amarelo ataque mais fraco e as partes em verde sem a ocorrência da cigarrinha.




Na área acima foram realizadas duas aplicações de produtos biológicos, demonstrando eficácia para o controle do ataque das pragas.


Produtor, lembre-se: para os desafios que vivemos neste momento a informação é a melhor solução. E é isso que o programa Agroevox da AgroHara pode fazer por você!


Para mais informações sobre o Agroevox, mande um whatsapp para: (43) 9 9114-0252.

agro hara.png